• terça-feira , 26 março 2019

Centro de Dança do DF muda gestão e abre inscrições para uso do espaço

Prédio reabre no próximo dia 22, sob administração exclusiva da Secretaria de Cultura. Inscrições estão abertas por ordem de chegada; veja como fazer.

Karina Zambrana/Divulgação

Reaberto há quase um ano, o Centro de Dança de Brasília passará por uma mudança de gestão neste mês. O espaço, que era gerido em parceria com uma organização social, será administrado exclusivamente pela Secretaria de Cultura do Distrito Federal.

O modelo de gestão compartilhada continua sendo adotado no Espaço Cultural Renato Russo. Com a mudança de governo, a casa da dança na capital ficará fechada até dia 21 de janeiro para limpeza e serviços de manutenção. As inscrições para utilizar o espaço, porém, já estão liberadas.

Operário faz reforma no Centro de Dança do DF, reaberto em fevereiro de 2018 — Foto: Dênio Simões/Agência Brasília/Divulgação

Operário faz reforma no Centro de Dança do DF, reaberto em fevereiro de 2018 — Foto: Dênio Simões/Agência Brasília/Divulgação

Na prática, pouca coisa deve mudar no modelo de oferta, seleção e uso do Centro de Dança. Um dos objetivos da gestão compartilhada no princípio era, justamente, estabelecer um mapa a ser seguido.

Para a ex-diretora do centro, Amanda Guedes, o modelo “funcionou muito bem”, com maior interação com o público, troca de ideias e necessidades, “menos burocratização e até mais liberdade financeira para trabalhar”.

“Conseguimos fazer uma busca ativa de quem estuda e trabalha com dança no DF e trouxemos profissionais da periferia, das danças de rua, para movimentar o centro.”

Demanda espontânea

Por enquanto, a Secretaria de Cultura está recebendo projetos somente por demanda espontânea (a já conhecida “ordem de chegada”). Quem quiser experimentar o espaço no primeiro trimestre de 2019 deve enviar um formulário para o e-mail centro.danca.df@gmail.com ou entregá-lo presencialmente no protocolo central da secretaria, no anexo do Teatro Nacional.

Sala de dança do Centro de Dança de Brasília — Foto: Renato Araújo/Agência Brasília/Divulgação

Sala de dança do Centro de Dança de Brasília — Foto: Renato Araújo/Agência Brasília/Divulgação

A pasta recomenda que os interessados enviem as propostas, no mínimo, 45 dias antes da data prevista para início das atividades. Aqueles que forem submetidos em prazo menor serão aceitos somente se houver equipe técnica disponível para análise e horários vagos.

As atividades que prevêm cobraça de taxas, como oficinas, cursos e workshops, devem seguir o limite máximo de R$ 13 por hora-aula com finalidade formativa e de R$ 50 para apresentações artísticas.

Aulas continuadas

Um edital específico, segundo a Secretaria de Cultura, será lançado para selecionar projetos de aulas continuadas. No entanto, a data não foi divulgada.

A expectativa é que o funcionamento seja semelhante ao do ano passado, com as aulas regulares (duas a três por semana) ao longo do ano. A mensalidade é definida pelos profissionais selecionados, em comum acordo com a secretaria.

Letícia Medeiros e Fernanda Fernandes agradecem plateia após apresentação do espetáculo "Quitinete" no Centro de Dança de Brasília — Foto: Karina Zambrana/Divulgação

Letícia Medeiros e Fernanda Fernandes agradecem plateia após apresentação do espetáculo “Quitinete” no Centro de Dança de Brasília — Foto: Karina Zambrana/Divulgação

Em 2018, o Centro de Dança abriu sete turmas de balé, dança contemporânea, dança pernambucana, dança-teatro, dança para pessoas com deficiência e “dança, corpo e performance”. O valor mensal variou de R$ 150 a R$ 260.

Processos criativos
Até o ano passado, artistas e grupos puderam inscrever projetos de criação, pesquisa e ensaios em três oportunidades. Cada etapa correspondia a um módulo temático. A Secretaria de Cultura não havia informado, até a publicação desta reportagem, como o processo ocorrerá a partir de agora.

Veja Também