• quarta-feira , 26 setembro 2018

Católicos se mobilizam para a festa de Pentecostes; veja a programação

Missa de libertação, na Paróquia São Pedro, em Taguatinga Sul, marcou a abertura da celebração neste domingo (13/5)

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Louvores, orações e pregação. Durante esta semana, Taguatinga se prepara para momentos de fé e adoração. A tradicional Festa de Pentecostes começa oficialmente, no Taguaparque, na sexta-feira, mas neste domingo (13/5) a missa de libertação, na Paróquia São Pedro, em Taguatinga Sul, marcou a abertura da celebração da descida do Espírito Santo sobre os apóstolos de Jesus Cristo.

Até quinta-feira, os encontros para missas, terços e pregações ocorrem na igreja que idealizou o evento, sob comando do pároco Moacir Anastácio. Depois, a festa passa para o Taguaparque, no Pistão Norte, e reúne multidão de fiéis em três dias.  Com o lema “Levantai-vos e vamos”, a comemoração deste ano chega à 20ª edição com o objetivo de encorajar os cristãos a alcançar os objetivos particulares e seguir na fé em Deus.

Ontem, aproximadamente 20 mil pessoas compareceram à paróquia, segundo os organizadores, mas a expectativa é que nos oito dias de celebração religiosa, mais de um milhão de pessoas participem das festividades. O coordenador de segurança da Festa de Pentecostes, Flávio Camargo, conta que a principal lição do evento é a pregação do nome de Jesus. “As pessoas precisam continuar acreditando em Cristo e buscar melhorar a vida a partir dessa fé. Esperamos que, durante a semana, muitas graças e bênçãos caiam sobre as pessoas”, diz.

 

Aline Cristina teve uma graça atendida e, desde então, vai à festa(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

 

Ele ressalta que a preparação envolve todos os integrantes da paróquia São Pedro. “São 20 anos de muitas lutas e graças concedidas por Jesus e, destsa vez, não será diferente. É uma preparação difícil, temos que nos desdobrar, mas a expectativa é a melhor possível”, garante. “Muita gente reclama que a vida está difícil, mas cada um tem que fazer a sua parte. Jesus prega que as pessoas precisam se esforçar. Assim, elas receberão a ajuda de Cristo”, afirma.

 

Cada pessoa que participa da festa tem um motivo especial. Alguns vão para agradecer por conquistas, outros pedem bênçãos e curas. Há, ainda, quem participa por tradição familiar e não perde a celebração há anos. Seja sozinho, seja acompanhado por parentes, os fiéis cantam músicas católicas, se emocionam com as pregações e clamam pela força do Espírito Santo.

 

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

A educadora Naiara Teixeira, 29 anos, participa do momento há 13 anos. Junto ao filho, Luís Eduardo Nascimento, 8 anos, ela aproveitou para comemorar o Dia das Mães na paróquia. “Quando perdi o meu primeiro filho, há quase 10 anos, encontrei muita força em Deus. O meu apego foi tão grande que ele me retribuiu e me agraciou com outra criança. O meu filho é a prova viva dos milagres de Pentecostes. Ele sempre me acompanha nas festividades”, revela. Para ela, esse é um momento de aproximação de Deus. “Pentecostes transforma as vidas de todas as pessoas”, acredita.

O empresário José Odilon, 57, participa da Festa de Pentecostes há 13 anos. Ele conta que, durante 10 anos, em todas as missas de libertação pedia que o filho se livrasse das drogas. No ano passado, a graça foi alcançada. “Não tem alegria maior do que vê-lo saudável. Depois que comecei a participar de Pentecostes, em 2005, minha vida prosperou. Todas as vezes saio daqui com a fé renovada. Receber o Espírito Santo é uma das maiores graças que já aconteceu comigo”, garante.

A analista financeira Aline Cristina da Silva, 28 anos, teve o pedido da cura do câncer de útero da mãe atendido. Desde então, ela nunca falta à festa do Espírito Santo. Estse é o 9º ano que ela participa. “A emoção é como se fosse a primeira vez. Venho com o coração aberto e saio me sentindo mais leve e com mais vontade de manifestar a minha fé. Sempre tem ensinamentos novos. Parece uma fonte de graças. Quanto mais bebermos dessa água, mais perto estaremos de Deus”, garante.

 

Confira a programação

De 14 a 17 de maio (segunda a quinta-feira) – Paróquia São Pedro
6h30 – Santa Missa
8h às 12h – Cenáculo com Maria
12h às 15h – Mil Ave Marias
15h – Missa da Misericórdia
17h – Continuação das Mil Ave Marias
18h às 18h30 – Terço dos Renascidos em Pentecostes e Ladainha de Nossa
Senhora da Primavera
19h – Missa da Cura ou Libertação

De 18 e 19 de maio (sexta-feira e sábado) – Taguaparque
8h – Cenáculo
10h30 – Louvor Comunidade Renascidos em Pentecostes
11h – Animação
12h – Terço da Batalha com oração de libertação
13h – Pregação
14h – Terço dos Renascidos em Pentecostes
15h – Missa – Anfiteatro (para servos) – Palco: Celebrando Pentecostes e Terço
da Misericórdia
16h – Terço Renascidos em Pentecostes meditado e louvor
16h40 – Louvor
17h30 – Animação
18h – Preparação para a Santa Missa
19h – Missa de Cura ou Libertação

20 de maio (domingo) – Taguaparque
8h – Cenáculo
10h30 – Louvor Comunidade Renascidos em Pentecostes
11h – Animação
12h – Terço da Batalha
13h – Oração de Cura e Libertação – Celebrando Pentecostes
14h – Terço dos Renascidos em Pentecostes
15h – Preparação para a Santa Missa
16h – Missa de Cura e encerramento da Semana de Pentecostes

Para saber mais

Quase duas décadas de festa

A Festa de Pentecostes ocorreu pela primeira vez em 1999, idealizada pelo padre Moacir Anastácio, e acontecia ainda na porta da igreja, a paróquia São Pedro, em Taguatinga. A partir de 2000, o templo não comportou mais a quantidade de participantes e foi preciso fazer a mudança.
Por oito anos, a celebração foi realizada no antigo Pistão Park Show e, em 2011, acabou transferida para o Parque Leão, no Recanto das Emas. No entanto, foi necessário um espaço maior. Desde 2012, o palco da festa é o Taguaparque.

Festa bíblica

Para os cristãos, o significado de Pentecostes é a descida do Espírito Santo sobre os apóstolos de Jesus Cristo. Os fiéis acreditam no dom de línguas, como descrito no Novo Testamento. Por essa razão, o Dia de Pentecostes é considerado como o surgimento da igreja católica. A festa é celebrada sempre 50 dias após a Páscoa, a ressurreição
de Cristo.

     

    Veja Também