• quinta-feira , 17 janeiro 2019

Brasileiro deve gastar R$ 116 com presente de Natal, segundo pesquisa

Valor médio dos presentes aumenta em comparação a 2017 e roupas lideram a procura por presentes

Os gastos com presentes de Natal devem injetar 53,5 bilhões de reais na economia brasileira, uma estabilidade em relação ao volume de 2017 (iStockphoto/Getty Images)

O brasileiro deve gastar 116 reais, em média, com presentes de Natal. Isso é o que mostra pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O valor é praticamente o mesmo de 2017, quando o valor médio dos presentes foi de 104 reais.

Os gastos com presentes de Natal devem injetar 53,5 bilhões de reais na economia brasileira, uma estabilidade em relação ao volume de 2017.

A expectativa é que 72% dos brasileiros comprem presentes neste Natal. Segundo a pesquisa, cada consumidor pretende comprar entre quatro e cinco presentes. Em relação aos produtos mais procurados, 55% das pessoas pretendem comprar roupas, segmento que permanece na liderança, seguido por calçados (32%), perfumes e cosméticos (31%) e brinquedos (30%).

Entre os que foram às compras no ano passado, 27% pretendem gastar um valor maior em 2018. O levantamento também mostra um aumento de 10% para 16% no número de pessoas que pretendem desembolsar entre 101 e 200 reais com presentes. “Embora o cenário econômico atual não esteja tão favorável, a expectativa positiva para o Natal dá indícios sobre a disposição dos brasileiros em consumir”, afirma o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Vendas online

A pesquisa mostra também que as lojas de departamento dividem em 2018 a preferência dos consumidores (42%) com as lojas online (40%). No ano passado, a situação estava invertida, com o comércio eletrônico liderando as intenções de compra com 40%.

Apesar disso, o e-commerce deve registrar crescimento nas vendas. Segundo a Ebit|Nielsen, referência em informações sobre o comércio eletrônico brasileiro, o setor deve faturar 9,9 bilhões de reais com a data, valor 13,5% maior do que o verificado no mesmo período do ano passado.

De acordo com o levantamento, o número de pedidos online deve crescer 6%, chegando a 20,6 milhões. A média de preço dos pedidos é de 490 reais, 7,9% maior que em 2017. O período do Natal deverá corresponder a 18,3% das vendas do e-commerce  de todo o ano.

Ana Szasz, líder comercial para Ebit|Nielsen, diz que o maior desafio da área nesta época são as compras de última hora. “Mesmo com alguns varejistas empenhados em fazer as entregas antes do dia 24, ainda existe uma grande parcela que não consegue mensurar direito ou mesmo garantir que o frete seja realizado na data exata da entrega.”

Dados do Google Consumer Survey, ferramenta de pesquisa para análise de público, também mostram essa importância do mundo virtual nas compras de final de ano dos brasileiros. O levantamento mostra que 8 em cada 10 pessoas se inspiram ou buscam o que presentear pela internet. Fonte: Portal Exame

 

Veja Também