• domingo , 17 dezembro 2017

Bilhete único: GDF começa a atualizar cadastro de deficientes na quinta

Atualmente, 65 mil pessoas têm o cartão. Entre novidades está documento para acompanhante e implantação de biometria facial.

O secretário de Mobilidade do Distrito Federal, Fábio Damasceno, anúncia atualização de cadastro de deficientes no Bilhete Único (Foto: Larissa Batista/G1)

O governo do Distrito Federal começa a atualizar nesta quinta-feira (16) o cadastro para quem tem interesse em usar o cartão +Especial – que concede passagens de transporte público gratuitas a deficientes e pessoas com doenças crônicas. A inscrição no sistema ocorrerá totalmente online, no site do Bilhete Único. Haverá biometria fácil para identificação dos beneficiários nos ônibus, metrô e BRT. Atualmente, 65 mil pessoas têm o cartão.

De acordo com o secretário de Mobilidade, Fábio Damasceno, as mudanças permitirão eliminar fraudes. Quem já tem o cartão original e comprovar a validade dele poderá continuar usando o cartão. Os beneficiários e os acompanhantes têm direito a oito viagens por dia cada um.

Veja como funciona a atualização do castro de deficientes no Bilhete Único no DF (Foto: Agência Brasília/Divulgação)

“Esse cartão tem muitas viagens por dia, então ele é usado por muitos fraudadores. Além disso, estamos incluindo a biometria facial. Então vamos precisar das imagens dos deficientes. Com as fotos das pessoas a gente vai estar eliminando muitas fraudes no DF”, declarou.

Para se cadastrar, é preciso enviar laudo médico, RG, CPF, comprovante de renda e comprovante de residência durante atualização no cadastro no site do Bilhete Único. O prazo é 15 de dezembro.

Os beneficiados são pessoas com insuficiência renal e cardíaca crônica, portadores de câncer, pessoas com vírus HIV, pessoas com anemias congênitas (falciforme e talassemia) e coagulatórias congênitas (hemofilia) e também pessoas com deficiência física, sensorial ou mental.

A expectativa do GDF é reduzir em 20 mil o número de beneficiários após a atualização. Atualmente, o custo da gratuidade com deficientes é de R$ 100 milhões.

Mudanças

A novidade, segundo o GDF, é que o acompanhante de pessoas com deficiência também terá um cartão. Antes, o beneficiário principal recebia mais liberações de viagens para passar o cartão duas vezes na catraca a cada trajeto.

“Agora, o acompanhante terá um cartão que só é liberado na catraca se o da pessoa com deficiência passar antes”, disse Damasceno. O acompanhante só tem direito ao transporte gratuito quando o médico especifica e justifica em formulário próprio.

Nesse momento, as pessoas com deficiência sem direito a acompanhante que vão fazer a atualização do cadastro, ou seja, que já usam o transporte público de forma gratuita, não devem trocar de cartão. Já aquelas que têm direito a acompanhante e as que fizerem o cadastro online para obter o benefício receberão um cartão da família do Bilhete Único. A troca, no entanto, será avisada previamente pelo órgão.

Com o envio correto da documentação, todos os cartões seguirão válidos. Os que forem trocados só serão bloqueados quando o usuário tiver um novo.

Quem não tem acesso à internet e não puder fazer o cadastro por alguma dificuldade deve ir até o posto da PromoDF, localizado na 112 sul, no metrô, ou nos núcleos de Defensoria Pública do DF.

O governo disse que as novidades serão implantadas gradualmente. Por enquanto, dez ônibus já funcionam em testes com biometria. Ainda neste mês, disse a Secretaria de Mobilidade, será divulgado um calendário para regulamentação da frota.

Quem tem o cartão individual não vai trocar o cartão, só atualizar as informações. Quem tem cartão com acompanhante vai precisar trocar para dois cartões desmembrados, explicou o secretário. “O grande avanço é as pessoas não irem presencialmente, indo até aos postos de atendimento.”

Veja Também