• domingo , 24 março 2019

Ato em Brasília lembra um ano da morte da vereadora Marielle Franco

O ato contou com performances, falas, músicas, a distribuição de 365 placas representando os 365 dias do assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes

Para lembrar o aniversário de 1 ano do assassinato, 365 placas da Rua Marielle Franco foram distribuídas
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)

Nesta quinta-feira (14/3), data em que o assassinato de Marielle Franco completa um ano, o PSol, partido da vereadora negra, realizou ato na Praça Zumbi dos Palmares, em Brasília, para reivindicar o esclarecimento do crime, com a prisão dos mandantes. No ato, foram distribuídas 365 placas da “Rua Marielle Franco”.
Para o deputado distrital Fábio Felix (PSol), um dos organizadores do ato na Praça Zumbi dos Palmares, ainda faltam respostas sobre o assassinato de Marielle e do motorista Anderson Gomes, mesmo após a prisão de dois supeitos de executá-los.

“Hoje é um dia muito importante. É um dia muito duro, de muita dor. Marielle era uma figura de muita representação. Hoje faz um ano de sua execução e nós temos respostas incompletas. A nossa pergunta é: quem mandou matar? Que interesses estão por trás? A gente quer uma resposta que dê conta do que foi essa tragédia para o país”, afirmou Felix.

Keka Bagno, membro da diretoria nacional do PSol, lembrou o simbolismo das placas da Rua Marielle Franco. “A gente está tentando ressignificar o 14 de março. Queremos que, para além da barbárie, esse dia signifique esperança e luta para todas as mulheres, principalmente as mulheres negras e LGBTs. A placa é um símbolo de resistência. A placa original foi quebrada por candidatos de extrema direita e, se eles quebram a placa, a gente distribui outras mil”, comenta.

Lançamento de livro escrito por Marielle

As homenagens a Marielle em Brasília começaram ainda de madrugada, quando um grupo feminista alterou a placa da Ponte Costa e Silva, no Lago Sul, rebatizando-a temporariamente com o nome da política e ativista negra.

A programação inclui ainda o lançamente do livro UPP: A favela reduzida a três letras, dissertação de mestrado vereadora. O evento começa às 17h e ocorre no Foyer do Plenário da Câmara Legislativa do DF. Uma Sessão Solene em memória de Marielle finalizará as homenages às 19h, no Plenário da Casa, com a presença de ativistas de direitos humanos e representantes da anistia internacional.

Fonte Correio Braziliense

Veja Também