Projeto ‘Área de Segurança Prioritária’ vai prevenir e reprimir violência na região administrativa

O morador da Estrutural Thiago Bezerra, de 23 anos, afirma que o reforço no policiamento e a confecção de mais benefícios aos jovens pode ampliar a segurança na cidade | Fotos: Divulgação/Sedes

“A gente precisa de mais policiamento e de mais benefícios para os jovens”. É essa a receita do Thiago Bezerra, de 23 anos, para melhorar a segurança na Estrutural. Desempregado, ele conta que já viu colegas da mesma idade irem para a criminalidade, algo evitável apenas por meio de oportunidades.

Movido pela curiosidade, Thiago acompanhou nesta última terça-feira (22) o lançamento do projeto Área de Segurança Prioritária (ASP), que ao longo de três meses vai realizar ações para combater e prevenir a violência.

A solenidade ocorreu em um local de nome sugestivo: a Praça da Juventude, localizada em frente à Administração Regional da Cidade Estrutural.

A ação social é vista também como prioritária para Joana Nogueira, de 60 anos. Ela trabalhava na área de limpeza e ficou desempregada logo no início da pandemia de covid-19.

Agora, recebe o auxílio emergencial do governo federal e neste mês recebeu o Cartão Prato Cheio. “Vale a pena! Com o cartão do GDF posso fazer as compras, já que está tudo caro, mas dá para passar”, conta.

A moradora da Estrutural diz ainda que nas últimas semanas aumentou o número de pessoas conhecidas com o benefício. “Aqui tem um monte de pessoas que recebem o Prato Cheio; veio muito cartão agora”, diz.

A declaração de Joana aborda a ampliação do projeto da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes): agora, são 35 mil famílias atendidas pelo auxílio mensal de R$ 250 para a compra de produtos alimentícios.

Presente à cerimônia de lançamento da ASP, o governador Ibaneis Rocha ressaltou o caráter de integração de políticas públicas. “Nós vamos levar serviços, vamos levar cidadania. Vamos mostrar que o Estado existe, e existe para proteger”, afirmou. O projeto é realizado a partir de um mapeamento detalhado de vulnerabilidades sociais em uma região.

Mutirões

A Sedes tem atuado para ampliar os atendimentos sociais na Estrutural. O planejamento da secretaria é que o atendimento agendado no Cras da Estrutural ganhe velocidade

A Sedes tem atuado para ampliar os atendimentos sociais na Estrutural. O planejamento da secretaria é que o atendimento agendado no Centro de Referência de Assistência Social (Cras) da Estrutural ganhe velocidade.

O número de servidores foi ampliado em 50% no último mês, com a chegada de novos profissionais convocados após concurso público. Também já foram feitos mutirões para atendimentos socioassistenciais e registros no Cadastro Único.

“Os mutirões estão sendo planejados para dar agilidade nas demandas do cidadão. Durante a semana, os servidores estão engajados no atendimento remoto, e a abertura no sábado permitiu atender quem quis ir pessoalmente até o Cras”, explicou a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha. A gestora enfatizou que  todas as pessoas atendidas fazem parte da mesma fila, de quem fez agendamento pelo número 156 ou pelo site da secretaria.

Em um único sábado, foram realizados 168 atendimentos, respeitando os protocolos da covid-19, como o uso de máscara e o distanciamento social.

A dona de casa Marcionília Pereira de Jesus foi uma das pessoas atendidas na ação e pôde atualizar seus dados no Cadastro Único. “O Cras é muito importante porque é onde as pessoas encontram benefícios para sobreviver. Na situação em que estamos vivendo, está muito difícil”, disse.

* Com informações da Sedes

Escreva um comentário