• sábado , 17 novembro 2018

“Apenas faça o Google fazer”: um novo slogan para o gigante

Nesta quinta-feira, se encerra a conferência anual do Google para desenvolvedores, depois de três dias de debates sobre o futuro da tecnologia

A conferência anual do Google para desenvolvedores, a Google I/O, chega ao fim nesta quinta-feira 10, na Califórnia, depois de três dias de demonstrações de tecnologias, laboratórios para os desenvolvedores, sessões de perguntas com os funcionários da companhia e o mais esperado: o anúncio de novas ferramentas do Google.

A maior parte das atualizações dos produtos do Google foi anunciada na terça-feira, durante uma apresentação de duas horas, na qual executivos se revezaram no palco para mostrar o que há de novo em Mapas, Google Fotos, Gmail, na assistente virtual (que ganhará a voz do cantor e músico americano John Legend) e Google Lens, o software para câmera.

Como resumiu um jornalista do site especializado em tecnologia The Verge, na conferência, o Google deixou claro sua intenção de mudar e definir nossas vidas. Várias das novidades usam novos conceitos de inteligência artificial e cabem em um dos slogans apresentados: “apenas faça o Google fazer”.

É o caso, por exemplo, da nova ferramenta do Gmail para completar frases do usuário enquanto ele está digitando — e escrever um e-mail inteiro praticamente sozinha. Ou do Google News, seção que reúne notícias selecionadas pelo Google, e que, agora, com o uso de inteligência artificial vai ficar mais personalizado, fazendo uma curadoria de conteúdos que ele acredita mais interessantes de acordo com o perfil do usuário.

Também é o caso da novidade mais surpreendente (e assustadora) apresentada pelo CEO do Google, Sundar Pichai, que mostrou a assistente virtual do Google fazendo uma ligação real para marcar um corte de cabelo em um cabeleireiro. A voz da assistente não apresentou nenhum traço robótico e até usou expressões de hesitação para parecer mais humana.

A atendente do cabeleireiro não demonstrou perceber que não falava com uma pessoa real. Questões éticas ao redor da ferramenta, como o fato de a assistente virtual não ter se identificado como uma inteligência artificial não foram abordadas.

A tecnologia será parte do Smart Displays, resposta direta do Google ao Echo, da Amazon. Similar ao da concorrente, o aparelho do Google, que começa a ser vendido em julho, se diferencia do Echo por ter uma tela.

O Google anunciou ainda melhorias em seu aplicativo de fotos, que agora vai colorir e descolorir fotografias, mudanças no sistema operacional Android, que vai ficar mais parecido com o do iPhone X ao abandonar a navegação por meio de botões, e uma maior integração do software de câmera Lens com o aplicativo de Mapas.

Ao andar por uma cidade, o usuário poderá apontar a câmera para a rua e obter, por meio de realidade aumentada, direções de que caminho seguir com flechas que vão aparecer na própria imagem do “street view” do Mapas.

Para os brasileiros, no entanto, a maior novidade é que a busca visual do Lens passará a entender português (e outros idiomas) a partir do fim deste mês.

Veja Também