• domingo , 27 Maio 2018

Advogado tem alucinação após usar droga, chama polícia e é autuado no DF

Ele disse à PM que escritório havia sido invadido por oito pessoas e jogou chaves pela janela. Outro homem que estava com ele foi preso por tráfico.

Fachada da delegacia da 1ª DP, em Brasília (Foto: Beatriz Pataro/G1)

Um advogado de 40 anos foi detido na noite desta quarta-feira (24) em Brasília após usar cocaína e chamar a Polícia Militar durante uma alucinação. Segundo os militares, o homem disse que o escritório – que funciona em uma casa na QI 23 do Lago Sul – havia sido invadido por oito pessoas. Ele foi autuado por uso e porte de entorpecentes.

Ainda de acordo com a PM, ao chegar no local, por volta das 23h, o advogado jogou as chaves pela janela, informando que os “criminosos” estavam dentro da casa. Os militares fizeram uma varredura no quintal e, antes de abrir a porta, verficaram que “não havia sinais de arrombamento”.

Do lado de dentro, o advogado estava acompanhado apenas de outro homem, que disse ser um amigo. Este se identificou aos policiais como sócio do escritório e acabou autuado por tráfico de drogas após assumir que tinha ido ao local para vender a cocaína.

Saquinhos de cocaína encontrados dentro de carro em escritório de advogacia em Brasília (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

“Questionados sobre o uso de entorpecentes o ambos assumiram ter usado cocaína e que os supostos invasores não passavam de alucinações”, informou a PM.

Em uma lixeira foram encontrados 30g de um pó branco que, supostamente, seria cocaína. Os policiais também encontraram 200g da droga dentro de um carro estacionado na garagem, uma balança de precisão e comprimidos. As substâncias foram encaminhadas ao Instituto de Criminalística da Polícia Civil.

Penas

Os dois foram levados à 1º DP (Asa Sul) e, posteriormente, encaminhados ao Instituto Médico Legal. Segundo a Polícia Civil, o advogado assinou termo de compromisso e foi liberado. A pena prevista para ele é de prestação de serviços à comunidade e cumprimento de medida educativa.

Já o amigo, autuado por tráfico, foi levado para a Carceragem do Departamento de Polícia Especializada, onde ficará até que o processo seja analisado pela Justiça. A pena para ele varia de 5 a 15 anos de prisão, além de multa. O crime de tráfico é inafiançável.

Veja Também